Blue Mountain State (2010-presente)

fevereiro 10, 2011 at 12:46 am Deixe um comentário

E aqui estamos com mais um seriado, Blue Mountain State, do canal americano SpikeTV, mais voltado para audiência masculina. É um seriado cuja temática é o futebol americano, mas não como no Friday Night Lights… é mais voltado para a comédia. Aqui no Brasil, BMS passa na MTV. Vamos dar uma olhada nessa série então.

Depois de encaixar Blue Mountain State depois de The Hard Times of RJ Berger, acho útil falar sobre uma questão importante pra quem assiste séries e, muitas vezes, não sabe como fazer. Eu sei que eu sou um pouco extremista no assunto e é absurdo o número de séries que já vi e vejo, mas julgo que isso me dá propriedade pra falar de um fator bem importante na hora de dar uma chance e assinar seu “termo de compromisso” com esse tipo de narrativa, mas a questão é que existem séries pretensiosas e as despretensiosas e isso conta muito.

Tanto RJ Berger quanto BMS são séries despretensiosas, e não tem a ver considerar mais ou menos conteúdo. Às vezes quem cria o hype em cima da série é o próprio estúdio, às vezes o trailer mostra uma coisa diferente da realidade ou então os próprios fãs de algum showrunner, roteirista, ator criam toda a atmosfera e faz com que você espere muito de algum título. Foi esse tipo de expectativa que afundou Flashforward. Não que fosse uma maravilha, mas era melhor do que pintavam. Se todos fossem de mãos abanando assistir, sem um arsenal pra contra-atacar qualquer passo em falso, poderia muito bem ter resultado em uma 2ª temporada. Heroes, pelo contrário, teve um hype alimentado pelos geeks e manteve uma coisa insuportável por 3 temporadas, além de garantir o papel de Spock no filme novo do Star Trek para o Zachary Quinto. Ninguém mais aguentava aquilo, até o nível cair tanto que nem a base de fãs conseguiu segurar a implosão.

De outro lado, as despretensiosas nos permitem assistir com menos filtros, procurando mais a diversão e surpreendendo. É o caso das duas já citadas, Veronica Mars, Psych, Community (que veio assim, mas se transformou em algo gigante pela sua qualidade), No Ordinary Family, etc. Nem todas que citei pode gozar de um sucesso grande, mas é a vida. Psych pra mim é superior a muitas comédias que tme por aí, mesmo levando isso por um formato não-padrão para o estilo de 40min. Longe de mim dizer que “pretensão = lixo”, Dexter, House, Prison Break são ótimas séries. Mas pode acabar preso nisso e pegando apenas séries como V e The Event e achando porcarias (ainda dá tempo de provar o contrário) ou então indo na onda e pagando pau pra uma coisa apenas pela fama que sustenta.

Voltando ao tópico, Blue Mountain State é uma série também de staff mais desconhecida. Os criadores, Eric Falconer e Romanski (que também atua na série) tinham conexões com o The Sarah Silverman Program e mais uns dois shows. O legal dessa série é que ela tráz não aquele olhar do nerd ou do cara comum para com os “jogadores idiotas”, mas mostra o quanto alguns são idiotas (e outros não) no próprio núcleo deles. BMS não mostra nenhum jogo de fato, só treinos e é o suficiente. Por ser da SpikeTV, em vez de canais como ABC Family, o título tem a liberdade de mostrar a sexualidade, drogas, bebedeiras, festas, cheerleaders gostosas e as situações cômicas proporcionadas pelos jogadores do Blue Mountain State Goats (bodes).

Alex Moran (Darin Brooks) é um QB reserva, apesar de ser um jogador sensacional no colegial. Ele não está interessado em ser profissional e gosta do fato de ser secundário para poder desfrutar dos privilégios do time sem ter que trabalhar. O amigo de infância perturbado, e irritante na maioria das vezes, é Sammy Cacciatore (feito por um dos criadores da série, Chris Romano, também conhecido como Romanski), que sempre está atrás de sexo e de ficar loucão. Fora isso temos o capitão do time, o LB #54 (deve ter a ver com o Urlacher) Thad Castle (Alan Ritchson) que tem aquele espírito de liderança, de levar o time a sério, mas é um belo de um idiota e com tendências homossexuais, coisa que só Moran tem o cacoete de apontar. Outro personagem é a estrela no jogo corrido Craig Shilo (Sam Jones III, que já tinha feito Smallville), que é todo correto pensando no seu futuro e tem uma namorada da época de colegial que funciona como uma “agente” e regula o sexo pra ele. Aí tem vários outros personagens secundários, como o dkicker doente do time, Harmon Tedesco, e sua esquisitice e o desejo pelas drogas pesadas. É assistir e conhecer.

Sammy, Thad, Coach Marty, Alex e Craig

A 1ª temporada é sensacional, engraçada pra caralho, logo logo importarei a minha da Amazon. A exploração das situações com a carta branca na comédia permite um exagero que faz muito bem para o seriado. Não tem muito o que ficar falando aqui, não vou sair comentando episódios… é só ligar os pontos do que falei até agora e dá pra ter uma noção no teor da série. BMS não tem aquele corpo de personagens imbatível que leva, mas só Alex Moran e Thad Castle e sua voz fininha já fazem cascar o bico.

A 2ª temporada, embora muitos critiquem, é boa também. Esse é o problema recorrente… se um título tem uma 2ª temporada não tão boa quanto a 1ª, automaticamente é ruim. E claro que podem achar isso. Na minha opinião a 1ª é melhor também, mas a 2ª também vale a pena. Um fator que explica um pouco a queda de qualidade foi a saída do personagem Craig Shilo, mas não foi frescura de ninguém. O ator Sam Jones III foi detido por tráfico de drogas e foi acusado, o que vai render meros 20 aninhos enjaulado pro garoto. Boa, campeão!

Outro quesito interessante é a trilha sonora, composta basicamente por músicas da banda The Rev Theory. É impressionante o quanto combina com a série, com aquele clima de faculdade/futebol americano. BMS é uma versão “junkie” da temática, e o quão próximo chega a ficar de seus irmãos “comportados” e a velocidade em que se distancia com detalhes nas situações chega a impressionar.

Dei uma pesquisada e ninguém sabe se terá uma 3ª temporada. Parece que sim, mas sem confirmações de quem do elenco continua.

Se quiser resumir os seriados na sua vida com Grey’s Anathomy e Lost, tudo bem. Mas, se quiser ir um pouco mais a fundo, acho tanto Blue Mountain State quanto outras indicações aqui do blog um bom caminho a seguir. Dê a chance! Não a chance de 1 episódio, porque geralmente não funciona. Dê uma oportunidade mais generosa e divirta-se.

Nota: 8

Fiquem aí com a abertura da série, que acho muito FODA! Parece que passa o que a série é nos 30 segundos, tanto nas imagens quanto no som.

Até o próximo post e tchau!

 

Anúncios

Entry filed under: SERIADOS.

Super Bowl XLV O fim da era Sloan

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


uruca

Sobre o blog:

Eu sou o uruca (Lucas) e esse blog é sobre esportes (NFL, NBA, MLB, UFC, etc), games, seriados, filmes, bandas, etc. Tudo que eu curto (ou nem tanto) vem pra cá. Divirtam-se.

Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

Junte-se a 3 outros seguidores


%d blogueiros gostam disto: